#corretom

O blog de corrida de Tom Fernandes


Deixe um comentário

Ida ao cardiologista (e o drama do peito raspado)

Quinta-feira passada (5 de julho), fiz meu retorno ao cardiologista (convém lembrar que a consulta inicial foi uma anamnese, uma atualização – eu já havia me consultado dois anos atrás, quando meu filho nasceu e eu sentia dores no peito – e uns pedidos de exame).

Com os exames clínicos em mão, fui ao teste de esteira (ergomético ou de esforço – vários nomes, um teste).

Parte chata: depilação feita com prestobarba e água fria com sabão (Imagine as clareiras no peito, coisa horrorosa).

Parte legal: completei os minutos do teste com sucesso, apesar do cansaço forte no final. Cheguei a 180 bpm (minha máxima seria 184) o que pra mim foi excelente.

Parte preocupante: embora o teste de esforço tenha sido legal e os testes clínicos também, o nível de triglicérides ainda está muito alto. Como estou em dieta há três meses, preciso rever a nutricionista e, infelizmente, vou tomar um remédio específico durante 90 dias.

Mas o João Marcelo me liberou para continuar correndo e até aumentar a carga de exercícios.

Foi neste espírito de confiança que consegui no sábado passado (7 de julho) correr meus primeiros 5 km sem parar.

E aí, bora correr?